Os Benefícios Científicos da Gratidão

1. Os participantes no grupo de gratidão se sentiam melhor sobre suas vidas como um todo e estavam mais otimistas sobre o futuro do que os participantes de qualquer um dos outros grupos, eles 25 por cento mais felizes;

2. Eles relataram menos problemas de saúde. Os participantes do primeiro – o grupo de gratidão – passaram mais tempo se exercitando do que os participantes dos demais grupos;

3. Eles tinham menos sintomas de doenças físicas e mentais do que os outros dois grupos;

4. O grupo de gratidão se exercitava uma hora e meia a mais do que o grupo dos que relatavam motivos para reclamação.

Somente nesse estudo fica muito claro os muitos benefícios científicos da gratidão. Mas não para por aí.

Em um segundo estudo de Emmons, as pessoas foram convidadas a escrever com frequência diária sobre as coisas pelas quais eram gratas ou quando eles experimentaram gratidão.

Há evidências de que a intervenção diária da gratidão levou a aumentos maiores do que a prática semanal do primeiro estudo. Os resultados mostraram um outro benefício:

5. Os participantes na condição de gratidão também relataram oferecer mais apoio emocional aos outros ou ajuda com um problema pessoal, indicando que a condição de gratidão é maior motivação “pro-social”.

Um terceiro estudo sobre os benefícios científicos da gratidão foi realizado com adultos com doenças neuromusculares.

6. Em comparação com aqueles que não anotaram suas bênçãos todas as noites, os participantes na condição de gratidão relataram mais horas de sono por noite, passando menos tempo acordado antes de adormecer, e se sentiam mais revigorados ao acordar.

O grupo de gratidão também relatou maior satisfação com suas vidas como um todo, se sentiu mais otimismo sobre a próxima semana, e se sentiu consideravelmente mais conectado com os outros do que os participantes na condição de controle.

Gratidão contra depressão

Os participantes não foram os únicos crentes que a vida ganhou melhor expectativa. De acordo com os pesquisadores, os cônjuges dos participantes na condição de gratidão, relataram que os participantes pareciam ter maior bem-estar subjetivo do que os cônjuges dos participantes na condição de controle.

Vários estudos têm mostrado que a depressão é inversamente proporcional ao sentimento de gratidão. Quanto mais grata a pessoa é, menos deprimida ela parece ser. Quanto mais deprimido, menos provável sentir-se grato pela a vida.

Um pesquisador, Philip Watkins, psicólogo clínico da Universidade Eastern Washington, descobriu que os indivíduos clinicamente deprimidos mostram significativamente menor gratidão, quase 50 por cento menos, do que as pessoas menos deprimidas.

Uma razão pode ser por que as pessoas que são gratas tendem a mostrar um viés de memória positiva, evocando muitas memórias, mais agradáveis do que desagradáveis, quando perguntado sobre os eventos da vida, e os indivíduos deprimidos mostram um viés de memória negativa.

Watkins sugere que a gratidão pode ajudar a aliviar a depressão por outras três razões:

  1. A gratidão pode aumentar o potencial de uma pessoa para apreciar os benefícios e a benevolência dos eventos.

  2. A atitude de gratidão pode fornecer habilidade de enfrentamento, útil para lidar com perdas e outros eventos estressantes, como apreciar as coisas importantes que temos.

  3. Uma abordagem grata à vida pode aumentar o foco em seus benefícios.

A conclusão é que uma prática diária da gratidão pode prevenir a depressão.

Os benefícios da gratidão nos casamentos

O Dr. John Gottman, da Universidade de Washington, especialista em relações conjugais, pesquisou casamentos por duas décadas.

A pesquisa conclui, que menos que um casal é capaz de manter uma alta proporção de emoções positivas contra as emoções negativos.

Gottman concluiu em seus estudos, que se você deseja manter seu casamento, você manter uma proporção de 5 para 1 ou superior, para emoções positivas. Ou seja, para cada queixa que você fizer em seu casamento você deve encontrar 5 emoções positivas.

Se você não o fizer, é provável que o casamento vai acabar muito rapidamente.

O Dr. Gottman foi capaz de prever, com 90 por cento de precisão, muitas vezes depois de apenas três minutos de observação, se os casamentos vão florescer ou se, provavelmente, vão tropeçar pelo caminho.

A fórmula é: para cada expressão negativa (uma queixa, franzir a testa, expressão de raiva) é necessário que haja cerca de cinco expressões positivas (sorrisos, elogios…).

Então, qual é a melhor maneira de criar uma relação positiva no seu casamento?

Bem, aqui não tem surpresas.

Gottman sugere praticar a gratidão consciente. E ter uma meta de contar, pelo menos, cinco bênçãos para cada uma queixa.

Então, ao invés de viver criticando seu companheiro ou companheira, encontre razões para ser grato por tê-lo ou tê-la em sua vida.

Robert A. Emmons, PhD, professor de psicologia na Universidade da Califórnia, Davis, pioneiro na pesquisa sobre gratidão, e um dos principais estudiosos da psicologia positiva, é autor do livro “Agradeça e Seja Feliz: Como ciência da gratidão pode mudar sua para melhor”.